Quinteto Virgisanta mantém o Choro vivo em MS

Hoje o Jornal das Sete recebeu o Quinteto Virgisanta, um grupo de músicos renomados que se dedicam à preservação e exaltação do choro. Composto por cinco talentosos artistas do Mato Grosso do Sul, o grupo traz em sua essência a paixão pela música brasileira e a preservação desse gênero musical clássico.

Os integrantes da banda são: Maria Claudia, vocalista do grupo e professora de canto popular, formada pela UFMS; Marcos Mendes, bandolinista, é multi-instrumentista, cantor, compositor e produtor musical; Laís Fuiyama, toca o violão de 7 cordas, é mestre em música pela UFG, violonista e educadora musical; Higor Rinaldi, flautista e estudante de música pela UFMS; e Tiago Cambará que é o pandeirista, de linhagem tradicional, traz o ritmo pulsante do choro adquirido pela tradição familiar de músicos com raízes de samba e choro.

O choro ou chorinho é um gênero da música popular brasileira surgido no Rio de Janeiro na segunda metade do século XIX. Segundo Marcos Mendes, o chorinho é uma música difícil de tocar, mas fácil de ouvir. O grupo recém formado,  se orgulha em divulgar o importante gênero musical reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

A intenção do Virgisanta é resgatar o instrumental do choro e, assim como outros artistas já fizeram, trazer o canto para a música. O grupo cita poetas famosos que adicionaram letras aos choros, como Vinícius de Morais e Carlos César Pinheiro.

O local de encontro oficial da banda é o “Escritório Bar Cultural”, onde se apresentam todos os domingos a partir das 18h30min.

Maria Claudia ressalta a importância das músicas populares brasileiras serem relembradas e imortalizadas entres a população, principalmente no ambiente escolar, em que jovens podem descobrir ou redescobrir a MPB.